sábado, julho 19, 2008

Deus de Dawkins

CIÊNCIA E RELIGIÃO_QUE RELAÇÃO

Neste belo livro da Altheia Editores, o autor refuta muitas das ideias de Richard Dawkins - autor de O Gene Egoísta, O Fenótipo Estendido, O Relojoeiro Cego, O Rio que Saía do Éden e a Desilusão de Deus, entre outros - um ateu convicto.
Poderia ser "mais uma obra", mas vinda de quem vem - professor de Teologia Histórica na Universidade de Oxford e com Doutoramento em Biofísica Molecular, o que o torna habilitado nos "dois campos" - deve ser um livro a não perder!
Para dar o mote, eis algumas passagens da obra:
"... E, tal como todos os autores provocatórios, Dawkins lançara uma série de debates fundamentais - acerca da existência de Deus e do sentido da vida;... como foi destacado pelo filósofo Michael Ruse numa recensão de O Capelão do Diabo, - livro de Dawkins de 2003 - «a atenção de Dawkins transferiu - se da escrita sobre as ciências, para um ataque aberto ao cristianismo»;... considero que todos os fundamentalismos são repugnantes, religiosos e não religiosos, e sinto-me profundamente angustiado com a evolução de alguém que eu admirava. Para ele, as pessoas religiosas são vistas como anticientíficas, intelectualmente irresponsáveis ou existencialmente imaturas."

2 comentários:

Nuno Correia disse...

Apesar de ser admirador de Dawkins não considero tudo o que ele escreve como sendo verdades absolutas. Aliás Dawkins é uma divulgador de ciência e não um especialista em evolução e em genética molécular. Dawkins procura ser um contra-peso ao Criacionismo Moderno, e talvez daí as suas opiniões mais fundamentalistas. Mas não tenho visto muito evolucionista a ter de andar a pedir desculpas sistematicamente por onde passam.
Vou ler este livro com atenção. Não porque acredite no Deus de Dawkins mas porque acredito na Evolução das Espécies, e antes dela na Evolução Química da Vida.
Nuno

Lourenço disse...

Bem observado.
Parece-me viver-mos num mundo em que, aparentemente, muita gente não tem tempo para parar e reflectir donde vem, onde está e o que pretende! Estarmos informados sobre as diferentes perspectivas (respeitando-as, mesmo divergindo delas) só nos enriquece, evitando, assim, esteriótipos que nada trazem de útil!