domingo, março 01, 2009

A Multicelularidade

Martin Boraas e a sua equipa pegaram numa alga unicelular e deixaram-na viver isolada mais de mil gerações. Depois introduziram um predador: uma criatura unicelular que envolve outros seres para os ingerir. Em menos de duas centenas de gerações a alga reagiu tornando-se um aglomerado de centenas de células. Com o tempo o número de células estabilizou nas oito em cada aglomerado. Este número permite aos agregados evitar a predação, mas serem, ainda, suficientemente pequenos para que a alga continue a captar a luz que necessita à sua sobrevivência.
Quando o predador foi retirado - pasme-se - as algas continuaram a reproduzir-se em agregados de oito células. Surgiu, assim, uma versão simples de uma forma multicelular ("corpo") a partir de uma criatura unicelular e sem corpo.
Se esta experiência consegue produzir em poucos anos uma organização semelhante a um corpo a partir de um organismo sem corpo, imaginem o que pode ocorrer em milhões de anos de evolução.
A questão deixa de ser como podem os corpos ter surgido, mas porque não surgiram mais cedo...; à cerca de um bilião de anos os níveis de oxigénio atmosférico aumentaram consideravelmente; a partir daí surgiram corpos por todo o lado. Será que foi ele que permitiu este salto na complexidade da vida?

3 comentários:

Rui Areal disse...

Gostava de ouvir um criacionista responder a esta experiência!!!

Lourenço disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lourenço disse...

Viva Rui!

Pois...

Apesar da ciência estar impregnada de valores culturais - ou não tivesse a mão do Homem - o evolucionismo está mais próximo da realidade que o criacionismo.
Explicar esta experiência do ponto de vista do criacionismo é sujeitá-lo à rejeição emediata. Já o evolucionismo, do ponto de vista epistémico, assenta que nem uma luva na experiência em causa...

A não ser que alguém pense que a entidade criadora gostasse mais da alga do que do predador...imagina o trauma do predador por se sentir preterido; ou, então, estar a promover uma "corrida ao armamento" entre predador e presa...só para sua diversão...

Saudações